Adolescência

A adolescência é uma etapa maravilhosa que marca a vida de todos nós. Neste período o jovem descobre a sua identidade, é uma fase de extrema importância. Pode-se dizer que é a "imaturidade em busca de maturidade".

O processo da adolescência manifesta uma “crise” na qual se reformulam os valores adquiridos durante a infância e se assimilam numa nova estrutura mais madura com o decorrer do tempo, de forma natural.

É comum nos depararmos com pais que alegam encontrar dificuldade na educação e orientação de seus filhos. Essa dificuldade é compreensível, já que no adolescente nada é estável e nem definitivo, por estar numa época de transição.

Naturalmente o jovem começa a se comparar com o outro, tomando conhecimento da própria personalidade, das suas idéias e de seus ideais.

Algumas pessoas falam sobre a impressão de notar certa apatia por parte do adolescente. Este fato pode ser explicado pela preocupação repousada e reflexiva dos próprios estados anímicos.

A interiorização envolve também as esferas intelectuais, estéticas e filosóficas. Inicia-se então questões como “quem sou”, “o que me agrada e desagrada”, “a que grupo pertenço”, “o que realmente busco” e tantas outras perguntas freqüentes que pulsam na mente do jovem nesse período de constantes mudanças.

Como podemos notar, esse período apresenta diversas características. Além de todas as questões citadas anteriormente, é importante notarmos que, com o decorrer do tempo e das vivências, ocorre uma crescente consciência e assim o conhecimento do "eu", que até então estava confuso na cabeça do adolescente. O nascimento da independência e a adaptação progressiva aos núcleos sociais da família, escola e comunidade vão sendo notados. Porém, é natural que esse espírito de independência cresça rapidamente e por isso esta seja ainda imatura e muitas vezes manifesta-se com agressividade e rispidez (essa é uma grande queixa apresentada por parte dos pais e responsáveis). Assim, o adolescente exige constantemente mais independência e liberdade.

A descoberta do próprio corpo, o toque, o prazer e diversas questões referentes ao sexo também invadem essa etapa da vida.

Outro comportamento comum na adolescência é que o jovem se oponha a quem lhe pergunte sobre os seus assuntos, objetivos, projetos, amigos, ou seja, a quem tente mergulhar na sua vida privada. A idealização nessa fase é também muito comum. Observar, imitar e querer ser a pessoa idealizada (aquela que o próprio jovem escolhe para colocar no “pedestal”) é facilmente notável. Muitas pessoas servem como referência para eles.

É fundamental lembrarmos que o adolescente procura conhecer a própria personalidade, mas é mais observador em relação a dos outros, tanto dentro como fora do núcleo familiar.

Conversas francas e abertas, respostas às dúvidas, orientações e confiança entre pais e filhos são grandes componentes para que essa etapa seja vivida da melhor forma possível, gerando aprendizado e bem estar físico e mental para ambas as partes. Para o adolescente, enxergar os pais como amigos e depositar neles toda a sua confiança é sinal de amparo, segurança, o que rende excelentes frutos para o ambiente familiar.

Quais os benefícios trazidos pela terapia ?

Sentindo-se acolhido e compreendido pelo psicólogo, o adolescente poderá entrar em contato com suas dúvidas, angústias e assim elaborar seus conflitos internos.

Neste processo de autoconhecimento, o adolescente conseguirá aos poucos construir sentidos para suas vivências emocionais e dar significado a elas, podendo abrir mão de algumas ações não refletidas.

Por ser um processo lento, é muito importante que a família se coloque como aliada ao tratamento terapêutico.
Rua Comendador Miguel Calfat, 128
Itaim Bibi - Cep: 04537-080 - São Paulo - SP
Telefone: 55 (11) 3045.2035
E-mail: contato@psicologajulianacampos.com.br
Criação de Sites Profissionais – em Campinas, São Paulo - SP